E-commerce X Shoppings

Compartilhe Inspirações!

RadarZ

Com a crescente expansão do e-commerce, muitos se perguntam se os centros de compras (shoppings) podem sofrer grandes impactos.

Os números espantam, já que no Brasil, o faturamento das compras via internet superaram R$18,7 bilhões em 2011, atingindo quase 32 milhões de consumidores (dados do e-bit).

Mesmo incomodando alguns, esses números não chegam nem perto dos R$108 bilhões movimentados pelo setor de shopping centers no país.

 

Além disso, o público que frequenta shoppings, seja para utilizar agências bancárias ou praças de alimentação é estimulado à compra de outras formas que o e-commerce às vezes não permite.

Outro fator importante a ser salientado é o fato dos shoppings atraírem público por meio de feiras e exposições realizadas muitas vezes de forma gratuita.

Dificilmente o e-commerce irá substituir os centros de compras físicos.

O que pode acontecer, como vem acontecendo em vários outros segmentos, é a reinvenção da forma de atingir o público e incorporar a internet como mais um braço de vendas.

A internet ganha cada vez mais força, mas não para excluir as formas tradicionais, mas como agregadora.

Curiosidade: Hoje as pessoas têm procurado os shoppings como uma forma de entretenimento e para serviços variados. Atualmente, todos os shoppings centers do país somam um fluxo em torno de 11 milhões de pessoas por dia.

Compartilhe Inspirações!

Inspirações Relacionadas: