Pixar, tudo junto e misturado

 

O que têm em comum Wall-E e Up, Monstros S.A. e Valente? A “The Pixar Theory” mostra como todos os filmes produzidos pela empresa estão conectados.

Desde 1995, quando a Pixar estreou seu primeiro filme, Toy Story, crianças, jovens e adultos acompanham todos os lançamentos do estúdio e nunca se decepcionam. Além de filmes espetaculares, a Pixar conseguiu juntar todos em um único universo. Bom, pelo menos há uma teoria sobre isso, conhecida como “The Pixar Theory”, criada pelo jornalista Jon Negroni.

Esse universo começa e termina em Valente. Essa produção é a primeira que explica como animais têm comportamentos humanos (Merida, protagonista do filme, é guiada até uma bruxa que possui uma magia capaz de transformar humanos em animais) e não só vemos animas com tais comportamentos, mas objetos inanimados também.

Ao longo da timeline Pixar, os animais com comportamentos humanos se reproduziram e isso explica o comportamento em Ratatouille e Procurando Nemo. Mas como relacionar aos outros filmes?

Toy Story

Em Toy Story 3, um cartão postal na parede de Andy tem o nome e o endereço de Carl e Ellie (incluindo seus sobrenomes). Isso confirma que o filme é ambientado antes de Up, pois Ellie ainda está viva ou pelo menos não está morta há muito tempo.

Aí partimos para Os Incríveis, onde o Síndrome diz ao Sr. Incrível que o combustível dos seus lasers vem da energia eletromagnética existente no vácuo, o que nos leva a acreditar que ele estivesse sendo manipulado pelas máquinas o tempo todo para que elas se livrassem das maiores ameaças da dominação robótica, os humanos superpoderosos. É uma explicação razoável para os brinquedos e outros objetos ganharem vida no mundo da Pixar.

PDVD_080

BNL

Animais, máquinas e brinquedos inteligentes, o que o ser humano faz? Um crescimento tecnológico agressivo que acabará no mundo apocalíptico de Wall-E. No início de Up, Carl é forçado a sair de sua casa por causa da expansão de uma empresa, Buy-n-Large (BNL), responsável pela extinção da vida no planeta em Wall-E.

Sem vida na terra, sobraram as máquinas, melhor dizendo, os carros. Como vimos na produção, o mundo é idêntico ao nosso, só que sem os humanos. Porém, nós somos a  fonte de energia para as máquinas, teoricamente. O que nos leva a crer que essa é a real história por trás da crise de energia em Carros 2 e a morte de todas as máquinas na Terra, exceção de Wall-E que, por sua fascinação com a humanidade, ele se alimenta pelos filmes, músicas e comportamento.

Muitos perguntam se após Wall-E a humanidade se reergueu. Pelo menos não é o que mostra a continuidade desse universo. Vida de Inseto é o único filme da Pixar que envolve animais e nenhuma intervenção humana. Porém há diversas referências de que humanos já viveram naquele mundo ou que não existiam em tanta quantidade naqueles dias.

Imagine que a nova sociedade harmoniosa entre humanos, máquinas e animais, criada após Wall-E, cresça em harmonia até o ponto em que uma nova espécie aparece. Sim, monstros. Eles podem ser uma evolução de humanos ou animais devido a Terra ter ficado “doente” aquele tempo todo. Vemos que  os monstros vivem em uma sociedade muito parecida com a nossa: restaurantes, universidades, carreiras, etc. Ou seja, Monstros S.A. não se passa em uma dimensão paralela e sim no futuro. As portas não são portais para outro mundo e sim máquinas do tempo. Como já sabemos, os humanos são a fonte de energia de tudo. Com o crescimento da sociedade monstro e o fim da humanidade, a nova “espécie” precisa voltar pra ter energia.

sully.jpg?w=420&h=345

Agora o mais surpreendente dessa teoria, e o que liga todos os filmes, se baseia em Boo, a garotinha fofinha de Monstros S.A., e seu amor incondicional por Sulley. Boo nunca superou Sulley e se tornou obcecada em descobrir o que aconteceu com ele. Lembrou-se de que as portas são a chave para o encontrar. Mais tarde, ela descobriu como viajar no tempo usando portas e volta para a fonte de toda a magia. Sim, aquela garotinha fofinha é a velha bruxa de Valente. Por isso a misteriosa bruxa pode, inexplicavelmente, desaparecer toda vez que passa por uma porta.

Apesar de toda essa teoria, a mais cruel dúvida deixada em um filme da Pixar ainda não pode ser respondida: Boo reencontra seu “gatinho”?

Se quiser saber mais, dê uma olhada no link: http://www.pixartheory.com.

Posts Relacionados