Reciclando o impossível

Pense em uma praga moderna? Funk? Também, mas, dentre as muitas opções que vieram à sua mente agora, pense em algo que está realmente degradando o planeta. Literalmente.

É muito fácil encontrar bitucas de cigarro no chão enquanto andamos por aí, não é? Montes e mais montes, aqui em SP até esculturas fizeram com elas!  Mas seus dias de emporcalhar as cidades podem estar contados. O húngaro Tom Szaky, fundador da empresa TerraCycle, desenvolveu um programa de reciclagem de bitucas: o Cigarette Waste Brigade* (Brigada de Resíduos de Cigarro, em português).

O projeto incentiva estabelecimentos comerciais, empresas e consumidores a juntar os resíduos de cigarros e enviá-los, gratuitamente e de forma responsável, pelo correio para que sejam esterilizados, dissecados e transformados em plástico. O material, então, é usado pela empresa para a produção de objetos como cinzeiros e latas de lixo, que são comercializados no site da companhia. Que tal? Tal como existe a coleta de óleo residual, poderia muito bem existir a coleta de bitucas aqui no Brasil, hum?

A iniciativa já existe, de forma bem-sucedida, no Canadá, Estados Unidos e Espanha e, em 2013, Szaky pretende expandi-la para França, Alemanha, Suíça, Áustria, Noruega, Dinamarca, Suécia, Finlândia e, talvez, México. Para o Brasil, ele tem outros planos: a reciclagem de gomas de mascar, mas nada impede que a Brigada de Resíduos de Cigarro também venha para cá.

No nosso país, aliás, Szaky vai encontrar outras referências. É que um grupo de estudantes de Administração da Escola Técnica Estadual de Heliópolis, na zona sul de São Paulo, descobriu uma outra utilidade para o lixo dos fumantes: fazer papel.

Só as ideias fortes sobrevivem. E ajudam o planeta a sobreviver 🙂

Para saber mais sobre o TerraCycle – http://www.terracycle.com.br/pt-BR/

 

Inspirações Relacionadas