Seu consumidor quer que você sacrifique sua marca.

Em novos tempos, onde as pessoas trabalham seu processos identitários através do consumo, as marcas que tomam posições e saem de cima do muro tem cada vez mais chances de conquistar seus consumidores.

Questões como igualdade de gênero e empoderamento feminino, responsabilidade ambiental, redução da pobreza e apoio à causas de direitos civis são apenas alguns dos tópicos relevantes para os consumidores (ou melhor, pessoas) segundo os estudos da Edelman Good Purpose.

É uma tendência cada vez maior exigir que esse comportamento responsável venha das empresas. As pessoas não querem ter o remorso de comprar de uma marca irresponsável, mas elas também não querem deixar de consumir, portanto se um produto ou serviço de qualidade similar aparece obedecendo essa nova regra imposta, a substituição é certa. O consumo sem culpa é ápice do prazer do consumidor.

Reestruturar a comunicação, alterar componentes do produto, repensar a forma de produção, parar de vender certos produtos… Vale tudo se o objetivo é criar melhores ações de convívio em sociedade ou melhorar o meio-ambiente.

Sacrificou alguns pontos da sua marca? Parabéns! Fale à vontade deles para as pessoas, não tenha medo de “vender” essa sua boa ação. Segundo a pesquisa supracitada, menos de 10% dos brasileiros se incomodam de ver propaganda sobre políticas socioambientais feitas pelas marcas. Mas tenha certeza de uma coisa, se o seu sacrifício não foi bem um sacrifício, mas uma jogada apenas para gerar publicidade, as pessoas irão descobrir, e não só isso, não vão gostar nada e a probabilidade de haver retaliações é certa.

Inspirações Relacionadas