Instagram continua apostando em “lives” para 2021.

Lives no Instagram

Já falamos por aqui como as lives se tornaram a sensação de 2020 quando se fala de produção de conteúdo. Muito por conta da pandemia, artistas, celebridades e, até mesmo, pessoas “comuns”, como amigos e família, começaram a se aventurar em transmissões ao vivo.

Ao Vivo, agora

Agora parece que mesmo o Instagram, plataforma responsável por um grande número dessas transmissões durante a pandemia, notou o enorme potencial que a plataforma tem em engajar audiência e e colocou ainda mais funcionalidades para ajudar quem tem produzido conteúdos ao vivo.

Até agora, os vídeos ao vivo dividiam espaço com os Stories, na parte superior da tela, no aplicativo. Agora, as transmissões vão ter um espaço próprio na plataforma.

Na aba “Live Now”, todas as transmissões de perfis que você segue estarão em destaque enquanto estiverem acontecendo e, claro, outras sugestões também serão mostradas para quem se interessar.

“Biblioteca” de transmissões

Ao contrário do YouTube ou Twitch que permitiam que os vídeos ficassem salvos, antes, as transmissões feitas no Instagram eram deletadas. Pouco tempo depois, começaram a permitir que os usuários fizessem o download de seus vídeos e, então, como “alternativa”, subiam as transmissões na aba IGTV da plataforma.

Agora isso não será necessário, pelo menos não imediatamente após as transmissões. Uma nova aba de arquivo de lives foi implantada à plataforma e permite o armazenamento de visualização dos vídeos por até 30 dias após a transmissão original.

Mais tempo de transmissão

Por último (mas não menos importante) o tempo de transmissão mudou. Até agora um dos principais pontos baixos de se transmitir via Instagram era a duração máxima que a plataforma colocava nas transmissões: uma hora. 

Por conta desse limite, muitas pessoas acabavam tendo que dividir suas lives em “partes” e, por causa dessa pausa entre uma e outra, acabavam perdendo público entre as transmissões.

Agora, o Instagram permite transmissões ao vivo com duração de até 4 horas, assim como sua plataforma “mãe”, o Facebook.

O Instagram foi um dos primeiros aplicativos a permitir a transmissão de lives sem uma “central de comando”, como o YouTube e a Twitch faziam antes. Então, chamou a atenção por ser mais inclusivo e acessível. Claro que isso acabou ajudando ainda mais no “boom” das lives durante a quarentena.

E você já sabe que, não importa se vai fazer lives com pouca, muita, ou nenhuma produção. O importante é fazer com que sua mensagem chegue, da melhor maneira até o alvo. E contar com a experiência de quem já está há quase 30 anos no mercado pode fazer a diferença.  Conte com a Zero11 para dar um “up” na sua comunicação, seja ela no Instagram ou não.

Frequência de Posts: quantas vezes por semana é o “correto”?

Frequência de Posts: quantas vezes por semana é o “correto”?

Por aqui, nós já falamos um pouquinho sobre o que são os algoritmos e como as redes sociais utilizam esses algoritmos para entregar o conteúdo aos usuários, mas será que você já parou pra pensar quando a frequência dos posts é importante pra fazer com que o conteúdo apareça pra mais gente, mesmo aquelas que não seguem sua página?

É sempre bom fazer com que seu conteúdo chegue ao seu público numa frequência “adequada” para aquilo que você entrega. Postar uma vez por mês? Uma vez por semana? Diariamente? Várias vezes ao dia? Tudo isso depende de qual rede social estamos falando.

Imagine entrar numa página que você acabou de conhecer, procurando por conteúdos que te interessam, e a última postagem foi feita há vários meses, ou então, ativar as notificações de uma outra página e acabar sendo bombardeado de vários e vários posts, um atrás do outro. Nenhuma das duas parece muito boa, não é mesmo?

Entenda a plataforma em que você está postando

Já vamos tirar essa dúvida do caminho: embora a periodicidade das postagens é parte do resultado, não existe uma periodicidade correta para todas as redes sociais, a frequência de postagens deve ser pensada de acordo com a estratégia definida. A escolha da plataforma também é fundamental e depende dos objetivos e do público-alvo.

O Facebook, segundo o estudo do HubPost, demonstra experiência de queda nos números de engajamento se várias postagens são feitas no mesmo dia e a frequência que funciona melhor para as diferentes páginas é de 3 posts por semana. Por outro lado, no Twitter, por exemplo, um tweet sozinho ao dia é rapidamente soterrado por vários outros, portanto, algumas páginas sugerem a postagem de 15 a 30 tweets por dia.

Algumas outras redes, como o YouTube, por exemplo, levam a frequência de postagem bastante a sério, dando prioridade de visualização para canais que postam pelo menos três vezes por semana, e até mesmo leva em conta a duração do vídeo em seu algoritmo.

Frequência x Alcance

É verdade que a produção de conteúdo, ainda que orgânica, cria um público cativo. No entanto, campanhas de awareness, de performance ou promocionais são mais eficientes se forem estruturadas a fim de alcançar um número grande de pessoas, indo além dos seguidores da página. Nesse caso, a frequência deixa de ser um atributo de sucesso e a mensagem mais a mídia ganha o foco. Em comunicação, há vários ingredientes, só que o segredo da receita de sucesso é carregar no sabor da própria marca.

Tudo isso pode parecer meio complicado a princípio, mas você não precisa aprender tudo isso sozinho. Pode contar com uma equipe que já está há quase 30 anos fazendo a mensagem chegar até o consumidor. Mande uma mensagem pra Zero11 e confira.